04 outubro 2005

 

São Francisco de Assis

Senhor, Fazei de mim um instrumento de vossa paz !
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvida, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz !
Ó Mestre, fazei que eu procure mais.
Consolar, que ser consolado.
Compreender, que ser compreendido.
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado
e é morrendo, que se vive para a vida eterna !
Comemora-se hoje, dia 4 de outubro, o dia de São Francisco de Assis, o santo das ordens franciscanas, da contemplação e patrono da ecologia. Adimirado por todos, cristãos ou não cristãos. Em sua honra, o mundo recorda a paz e a fraternidade. Francisco de Assis nasceu em 1181. Filho de um rico comerciante de tecidos, aproveitou sua condição social para viver uma vida boemia com amigos. Tentou como o pai seguir a carreira de comerciante, mas não deu certo. Sonhou então com as honras militares, mas deu-se por vencido e desistiu da vida militar. Adoeceu e na doença foi descobrir sua verdadeira vocação. Começou deixando as riquezas, desprezando o dinheiro e as coisas materiais. Deparou-se com um leproso que o ajudou em sua situação de miséria e percebeu que o que antes era amargo se converteu em doçura da alma e do corpo.O pai, discordando das opções do filho, queixou-se ao bispo de Assis. O filho, por sua vez, decidiu seguir seu caminho, renunciou aos bens e aos direitos de herança, entregou suas vestes e mudou radicalmente seu estilo de vida. Organizou uma nova ordem religiosa, com Clara de Assis fundou a ordem das Clarissas e aos casados estruturou a ordem franciscana secular. Francisco de Assis tornou-se um dos santos mais adimirados e mais estimados do mundo. Pautou sua vida pelo amor e pelo apegoa a pobreza. Para ele os animais, a natureza, o sol, a lua e a terra eram irmãos e irmãs. O Cântico Irmão Sol tornou-se uma das mais belas páginas da poesia cristã. Dedicou sua vida a pregação do Evangelho. Pelas cidades e vilas de seu tempo gritava: o amor não é amado. Passava horas e horas em contemplação no alto das colinas da região central da Itália. Tornou-se dessa forma o santo da contemplação. No sábado dia 3 de Outubro de 1226, entregou sua alma a Deus. aquele que iniciou sua vida abandonando tudo morreu pobre, escutando a leitura do Evangelho de Jesus Cristo. Foi esta vida simples e pobre que deixou marcas profundas que o mundo jamais esqueceu. Ninguém como ele soube ter um sentido universalista da vida e do amor. O cantico do Irmão Sol proclama seu amor a tudo o que existe e é uma das mais belas páginas da poesia cristã. Sua simplicidade deixou impressa no mundo a dimensão do amor e da pobreza, valores que brilham em sua vida. (Eusebio Borguetti)

Comments: Postar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?